Notícias actualizadas ao minuto sobre o sector automóvel

Michelin e Faurecia juntas pelo futuro a hidrogénio

A Michelin e a Faurecia anunciaram a assinatura de um Memorando de Entendimento para criar uma joint venture que aglutine todas as atividades relacionadas com as pilhas de combustível que, até agora, a Faurecia e a Michelin, incluindo a sua filial Symbio, desenvolviam individualmente.

A nova empresa, especializada em soluções relacionadas com o uso do hidrogénio, passa a ser propriedade, em partes iguais, da Faurecia e da Michelin. Esta joint venture francesa, construída em torno de um ecossistema único, desenvolverá, produzirá e comercializará sistemas de células de combustível de hidrogénio para automóveis ligeiros, camiões e outras aplicações.

A Faurecia e a Michelin estão convictas da importância da tecnologia do hidrogénio na busca de uma mobilidade sem emissões, e da necessidade de criar uma forte indústria, francesa e europeia, em torno deste combustível.

Ambas as empresas pretendem dar forma a um líder mundial em sistemas de pilhas de combustível de hidrogénio, combinando os ativos existentes e complementares que cada grupo possui. Esta simbiose permitirá que a nova empresa ofereça, de forma imediata, uma gama única de sistemas de células de combustível de hidrogénio para diferentes utilizações.

Para os veículos elétricos, a tecnologia de células de combustível complementa a das suas próprias baterias, especialmente nos casos que requerem uma utilização muito intensa e uma maior autonomia. Para mais, a tecnologia de pilhas de combustível foi recentemente selecionada pela União Europeia como um dos seis Projetos de Interesse Comum mais importantes da Europa.

A contribuição da Michelin para a joint venture será a atividade da Symbio, uma filial do Grupo desde 1 de fevereiro de 2019, e fornecedor de sistemas de células de combustível de hidrogénio associados a uma gama de serviços digitais, assim como as suas próprias atividades de I+D e produção.

A Faurecia trará a experiência tecnológica em células de combustível que desenvolveu através de uma parceria estratégica com a CEA, além do seu conhecimento industrial e das suas relações estratégicas com os fabricantes de automóveis. A Faurecia prosseguirá o seu desenvolvimento de depósitos de hidrogénio de alta pressão em parceria com a Stelia Aerospace Composites, do que também beneficiará a nova joint venture.

A cooperação entre a Michelin e a ENGIE, um grupo global de serviços e energia, para o desenvolvimento de um ecossistema de hidrogénio, em particular no campo da mobilidade baseada no hidrogénio, também trará benefícios para a joint venture.

O acordo entre a Michelin e a Faurecia foi assinado no passado dia 11 de março, na presença de Agnès Pannier-Runacher, Secretária de Estado do Ministério de Economia e Finanças de França. A operação está sujeita à aprovação das autoridades competentes.

OUTRAS NOTÍCIAS

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.