Notícias actualizadas ao minuto sobre o sector automóvel

Ensaio: Volkswagen T-ROC 1.6 TDI – Feito à medida

O Volkswagen T-ROC passou a incluir a motorização 1.6 TDI de 115 cavalos na sua gama, mais ajustada ao mercado nacional do que a opção de dois litros, para quem ainda prefere uma opção diesel com um preço mais convidativo.

A família de SUV da Volkswagen tem crescido a uma velocidade incrível nos últimos anos e ainda há modelos novos a serem adicionados, como o T-Cross, por exemplo. No entanto, de todos eles, o T-ROC é aquele a que acabamos por dar mais valor pelo simples facto de ser produzido em solo nacional e, por isso, ser também um bocadinho “nosso”. Trata-se de um produto global, que é exportado não apenas para a Europa, mas também para outros recantos do globo, ainda que o mercado alemão e países como França ou Itália sejam o seu principal destino.

Em solo nacional fica apenas uma pequena percentagem da produção da Autoeuropa, sendo que o T-ROC que aqui lhe apresentamos é bem capaz de ser a versão mais desejada de todas. É que agora, este SUV da Volkswagen também passou a estar disponível com o motor diesel 1.6 TDI de 115 cavalos, mais ajustados aos desejos e necessidades do nosso mercado. Além disso, com a carroçaria pintada de vermelho e com o pacote de equipamento R-Line que deixa o T-ROC um pouco mais desportivo, este modelo ganha ainda uma maior dose de interesse.

Tração integral? Não, isso só ia fazer com que o valor final deste modelo chegasse a valores que já permitiam adquirir um modelo de uma gama superior. E além disso, não é esse o objetivo do T-ROC. Este SUV da Volkswagen foi concebido para estar na moda e é por isso que tem tantas hipóteses de personalização. Há diversas cores para a carroçaria, algumas combinações com cores diferentes no tejadilho e outros tantos conjuntos de jantes, para que o T-ROC fique o mais possível ao gosto de cada cliente. E consoante a cor da carroçaria, também é possível adicionar alguns painéis decorativos no habitáculo, que vincam ainda mais a sua atitude jovem e dinâmica.

No caso da unidade ensaiada, o tom vermelho da carroçaria já esgotou a maioria das possibilidades de personalização disponíveis para o habitáculo e acabamos por encontrar tons mais cinzentos e alguns componentes plásticos que mereciam uma melhoria em termos de qualidade. Além disso, isto faz também com que o tratamento acústico não seja dos melhores, o que nos deixa ouvir excessivamente o motor 1.6 TDI quando exigimos mais dele.

Em contrapartida, do lado prático, não há grandes defeitos a apontar. O T-ROC conta com uma boa posição de condução e com espaço suficiente a bordo para se tornar numa boa alternativa a qualquer modelo familiar mais tradicional como o Polo ou mesmo o Golf. Esta motorização oferece consumos muito comedidos, entre os cinco e os seis litros, quase sem nos esforçarmos e é acompanhada da caixa de seis velocidades que ajuda na autonomia mais dilatada se andarmos bastante tempo em autoestrada.

Com o nível de equipamento Style e a motorização diesel, o preço do T-ROC fica ligeiramente acima dos 30 mil euros, mas com os mais de cinco mil euros em extras da unidade ensaiada, o T-ROC que aqui lhe mostramos já fica com um preço final acima da fasquia dos 35 mil euros, o que nos permite começar a pensar num Tiguan, por exemplo, mas com muito menos equipamento.

VEREDICTO

O Volkswagen T-ROC é o “nosso” SUV, produzido ali para os lados de Palmela, na Autoeuropa. Conta com um visual jovem e dinâmico, com diversas hipóteses de personalização, que se insere perfeitamente na moda dos SUV a que continuamos a assistir no mercado. Com um nível de equipamento moderado poderá ficar com um preço bastante convidativo, mas a lista de opcionais disponíveis para este modelo é bastante extensa e convidativa. O motor 1.6 TDI de 115 cavalos é uma das novidades da gama, o que, num mercado como o nosso, ainda continua a fazer bastante sentido.

FICHA TÉCNICA

Volkswagen T-ROC 1.6 TDI Style R-Line

MOTOR: 4 cilindros em linha; Cilindrada (cm3): 1.598; Potência máxima (cv/rpm): 115/n.d.; Binário máximo (Nm/rpm): 250/1.750-3.200; TRANSMISSÃO: Tração dianteira; Caixa manual de 6 velocidades; Suspensão (fr./tr.): Independente, McPherson; Barra de torsão; DIMENSÕES: Comprimento/Largura/Altura (mm): 4.234/1.819/1.573; Distância entre eixos (mm): 2.590; Largura de vias (fr./tr.) (mm): 1.538/1.546; Travões (fr./tr.) Discos vent./Discos vent.; Peso (kg): 1.395; Capacidade da bagageira (l): 445; Depósito de combustível (l): 50; Pneus (fr./tr.): 215/50 R18; PRESTAÇÕES: Aceleração de 0-100 km/h (s) 10,9; velocidade máxima (km/h) 187; CONSUMOS: Urbano/Extraurbano/Combinado (l/100 km): 4,9/3,9/4,3; Emissões de CO2 (g/km) 113;
PREÇO (versão base): 30.374 euros; PREÇO (unidade ensaiada): 35.688 euros

OUTRAS NOTÍCIAS

Comentários estão fechados.